Domingo, 17 de Outubro de 2021
28°

Alguma nebulosidade

Caucaia - CE

Política Saúde Pública

Técnicos de Enfermagem da Prefeitura de Fortaleza reivindicam qualificação e ameaçam entrar em greve

O Sindisaúde informa que os técnicos de enfermagem, auxiliares de saúde bucal (ASB) e técnicos em higiene dental (THD), concursados em 2015 da Prefeitura de Fortaleza, decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir do dia 20 de setembro.

18/09/2021 às 13h57
Por: Imprensa Livre do Ceará Fonte: Blog Edison Silva
Compartilhe:
A decisão de entrar em greve a partir do dia 20/9 veio após mais uma reunião sem resposta. Foto: Reprodução.
A decisão de entrar em greve a partir do dia 20/9 veio após mais uma reunião sem resposta. Foto: Reprodução.

O Sindisaúde informa que os técnicos de enfermagem, auxiliares de saúde bucal (ASB) e técnicos em higiene dental (THD), concursados em 2015 da Prefeitura de Fortaleza, decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir do dia 20 de setembro.

Os profissionais cobram da Prefeitura a aplicação do Programa de Educação Permanente e tratamento igualitário com os demais servidores da Atenção Primária à Saúde.

A decisão das categorias veio após mais uma reunião das entidades sindicais com a Prefeitura, dia 14, e da resposta negativa à reivindicação dos trabalhadores (as).

Há anos que os sindicatos cobram essa reivindicação dos concursados do nível médio da Saúde em 2015 e a Prefeitura de Fortaleza nega o direito à qualificação dentro do horário de trabalho, como já ocorre com os demais profissionais do nível médio, que podem destinar oito horas da jornada de 40 horas semanais à Educação Permanente.

Ao todo, as três categorias somam aproximadamente 600 profissionais que atuam na Rede de Atenção Primária, sendo que os técnicos de enfermagem participam inclusive da vacinação contra Covid-19.

Para a diretora setorial de Saúde do Sindifort, Regina Cláudia Neri, “os profissionais vão à greve porque a Prefeitura não lhes deixou outra alternativa. Cobramos a Educação Permanente há anos. Desde o início de 2021 que tivemos várias negociações infrutíferas em mesas setoriais, atos de protesto, audiências…Tentamos até intermediar a pauta através da Câmara Municipal, mas o prefeito Sarto se fez de surdo. O Sindifort apoia a greve dos concursados de 2015 e seguimos firmes na luta!”

Fonte: SINDIFORT.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias