Domingo, 05 de Dezembro de 2021
28°

Alguma nebulosidade

Caucaia - CE

Entretenimento Famosos

Belchior nascia há 75 anos: obra do cantor marcou geração e se mantém atual

A música brasileira comemora 75 anos do nascimento de Belchior em 26 de outubro de 2021, um de nossos maiores compositores e protagonista de um dos casos mais intrigantes da cultura popular nos últimos tempos.

26/10/2021 às 10h39
Por: Imprensa Livre do Ceará Fonte: UOL
Compartilhe:
 Canções como
Canções como "A Palo Seco", "Apenas Um Rapaz Latino Americano", "Como Nossos Pais" (que tornou-se um hino na voz de Elis Regina), "Medo de Avião", "Tudo Outra Vez" e várias outras marcaram a história de tanta gente.

música brasileira comemora 75 anos do nascimento de Belchior em 26 de outubro de 2021, um de nossos maiores compositores e protagonista de um dos casos mais intrigantes da cultura popular nos últimos tempos.

Grande representante da MPB nos anos 1970 e 1980, o cantor enfileirou sucesso atrás de sucesso, ecoando com toda uma geração que vivia sob o regime militar. Canções como "A Palo Seco", "Apenas Um Rapaz Latino Americano", "Como Nossos Pais" (que tornou-se um hino na voz de Elis Regina), "Medo de Avião", "Tudo Outra Vez" e várias outras marcaram a história de tanta gente.

Belchior tratava de temas universais como o amor, as angústias da juventude e a saudade de casa, além de importantes reflexões políticas e sociais. Seu trabalho tornou-se atemporal e nunca deixou de ser relevante.

  • Antes, uma dica: fique de olho na oferta da Amazon Music Unlimited e ouça suas canções favoritas de graça, pelos três primeiros meses. A assinatura custa a partir de R$ 16,90 após a promoção.

Morto em abril de 2017, em decorrência de problemas de saúde, o artista cearense foi redescoberto por uma nova leva de fãs, que chegou à sua obra por meio de Emicida: em sua faixa "AmarElo" (2019), ele usou versos de Belchior em "Sujeito de Sorte", do disco Alucinação.

A ruptura de um aneurisma da aorta encerrou sua trajetória, mas quase uma década antes de morrer, Belchior já reentrava no imaginário popular quando foi revelado que ele estava desaparecido. Amigos e parentes relataram não ter mais notícias dele.

O sumiço do cantor gerou diversas teorias e repercutiu internacionalmente, até que uma equipe de reportagem do Fantástico (TV Globo) encontrou Belchior vivendo em um hotel nos pampas uruguaios. Lá, ele disse que estava trabalhando bastante em novas canções, além de traduzir "A Divina Comédia", obra máxima do italiano Dante Alighieri.

Belchior nunca mais voltaria à cena pública, passando os anos seguintes viajando entre muitas cidades, principalmente no sul do país, e chegando a morar na casa de fãs, até sua morte, na cidade gaúcha de Santa Cruz do Sul.

Auge da carreira

Nascido Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes em Sobral (CE), o músico gostava de brincar dizendo que era, literalmente, um dos maiores nomes da MPB. De uma família com 23 irmãos, Belchior chegou a estudar medicina em Fortaleza, mas abandonou o curso para se dedicar à vida de cantor.

Tocando em festivais pelo Nordeste, em 1971, venceu o 4º Festival Universitário de MPB com a composição "Na Hora do Almoço", cantada por Jorge Melo e Jorge Teles.

No ano seguinte, teria a canção "Mucuripe", feita em parceria com o também cearense Fagner, gravada por Elis Regina, o que deu um empurrão em sua carreira.

Em 1974, estreou com seu disco homônimo, mas apenas dois anos depois, com "Alucinação" e todos os seus hits, Belchior alcançaria seu status máximo.

Nas décadas que vieram a seguir, o compositor se manteve extremamente ativo, lançando mais uma dezena de álbuns de grande sucesso, com intervalos de poucos anos entre eles, como "Coração Selvagem", considerado por muitos sua obra-prima, "Era uma vez um homem e seu tempo" e "Baihuno", seu último disco de inéditas, lançado em 1993, consolidando as principais ideias que Belchior teve durante sua carreira.

Período de reclusão

No início desse século, Belchior começou a se retirar da cena pública. Em 2006, cortou laços com família, empresário e produtores, e três anos depois fez sua última aparição, em um show de Tom Zé, em Brasília.

Envolvido com dívidas e processos, o desaparecimento do cantor começou a ser noticiado, até que fãs afirmaram tê-lo visto no Uruguai, onde foi realmente encontrado.

Na entrevista concedida na época, Belchior falou sobre os motivos do isolamento, as canções inéditas que estava escrevendo e o lançamento de suas músicas em espanhol.

Alguns anos mais tarde, objetos pessoais e uma suposta dívida foram deixados para trás em um hotel na cidade uruguaia de Artigas. Localizado em Porto Alegre, o compositor negou as acusações.

Nesse tempo fora de cena, Belchior tomou destino incerto, passando pelo país vizinho, por sua cidade natal e voltando para o sul. Até que, em 30 de abril de 2017, aos 70 anos, morreu enquanto dormia, em sua casa em Santa Cruz do Sul, onde havia passado seus últimos anos despercebido até mesmo por moradores do município.

Para relembrar, nesse dia especial, um personagem tão importante da nossa cultura, separamos uma lista de produtos para você que já é fã ou quer conhecer mais sobre essa figura sem igual no cenário musical brasileiro.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Famosidade
Famosidade
Sobre Tudo sobre o mundo dos famosos em um só lugar!
Caucaia - CE Atualizado às 19h34 - Fonte: ClimaTempo
28°
Alguma nebulosidade

Mín. 24° Máx. 33°

Seg °C °C
Ter °C °C
Qua °C °C
Qui °C °C
Sex °C °C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Enquete
Ele1 - Criar site de notícias